História infantil sobre José

Nesta emocionante história infantil de José, vamos acompanhar as aventuras de um jovem especial que recebeu um presente único de seu pai. Por meio dessa narrativa inspiradora, as crianças aprenderão valiosas lições sobre amor, igualdade e superação de sentimentos negativos como o ciúme. 

Vamos mergulhar nessa história encantadora e descobrir como o amor de um pai pode transformar vidas!

1 – Um presente especial (Gênesis 37:3-4):

José era o filho caçula de Jacó, também conhecido como Israel, e Raquel. Sua família era grande, com onze irmãos mais velhos. No entanto, José tinha um lugar especial no coração de seu pai, pois ele havia nascido quando Jacó e Raquel já eram idosos.

Jacó amava José de uma maneira especial, e essa preferência era evidente. Ele decidiu presentear José com uma túnica longa e colorida, que se destacava em meio às demais vestimentas. Esse gesto de amor paternal aumentava o ciúme dos irmãos de José, que começaram a sentir-se deixados de lado.

Conclusão

Nsta primeira parte da história de José para crianças, aprendemos uma valiosa lição: não precisamos sentir ciúmes uns dos outros, pois temos um Pai celestial que nos ama igualmente. 

Quando nosso irmãozinho ou amiguinho recebe um presente especial, em vez de sentir inveja, devemos nos alegrar e comemorar com ele. Deus tem preparado algo único e especial para cada um de nós, e isso não depende da preferência de outras pessoas.

2 – Os sonhos de José (Gênesis 37:5-11)

Continuando nossa emocionante jornada na história bíblica infantil sobre José, vamos descobrir como os sonhos especiais que ele teve impactaram sua vida e a relação com seus irmãos. 

Nesta ertapa, as crianças aprenderão importantes lições sobre os propósitos de Deus, inveja e confiança em Seus planos. Vamos mergulhar nessa narrativa inspiradora e descobrir como os sonhos podem revelar o futuro.

Certa vez, José teve um sonho fascinante. Ele sonhou que feixes de trigo, o sol, a lua e as estrelas se curvavam diante dele. Empolgado com a revelação, José decidiu compartilhar o sonho com seus irmãos.

Ao contar o sonho, José explicou que eles estavam no campo, amarrando feixes de trigo. De repente, seu feixe de trigo ficou em pé, enquanto os feixes de seus irmãos se curvavam diante dele.

Os irmãos de José ficaram perplexos e perguntaram se ele acreditava que seria um rei e que governaria sobre eles. Esse episódio aumentou ainda mais o ciúme e o ódio que sentiam por ele.

Em outra ocasião, José teve um segundo sonho. Desta vez, o sol, a lua e onze estrelas se curvavam diante dele. Ao contar esse sonho aos seus irmãos e a seu pai, José causou uma reação diferente em cada um.

Seus irmãos sentiram ainda mais inveja e ódio, enquanto seu pai, Jacó, ficou pensativo, refletindo sobre o significado desses sonhos. No entanto, Jacó repreendeu José pelo último sonho, questionando se ele acreditava que sua mãe, seus irmãos e ele próprio se ajoelharam diante dele.

Conclusão

A história dos sonhos de José nos ensina que Deus tem um plano para cada um de nós. Não há necessidade de sentir inveja do nosso amiguinho ou de alguém que recebeu uma revelação especial de Deus. Em vez disso, devemos buscar a Deus em oração e sermos bondosos uns com os outros.

Os sonhos de José revelaram o propósito divino para sua vida, mas também despertaram a inveja e o ódio em seus irmãos. Porém, mesmo diante de circunstâncias difíceis, José aprendeu a confiar em Deus e a acreditar em Seus planos. No decorrer da história, veremos como essa confiança o levará a lugares inimagináveis.

A lição que devemos levar dessa parte da história é que Deus tem um plano único para cada um de nós, e não devemos permitir que a inveja nos domine. Ao confiar em Deus e sermos bondosos com os outros, Ele concederá os desejos do nosso coração. 

3 – José é vendido (Gênesis 37:12-36)

Nesta etapa da história de José infantil, vamos descobrir como a vida desse jovem tomou um rumo inesperado. Nesta parte, as crianças aprenderão valiosas lições sobre perdão, confiança em Deus e não buscar vingança. Vamos explorar os acontecimentos marcantes que levaram José a ser vendido por seus próprios irmãos e como ele reagiu diante dessa adversidade.

Um dia, Jacó pediu a José que fosse encontrar seus irmãos no campo, onde estavam cuidando das ovelhas. 

No entanto, ao avistarem José se aproximando, seus irmãos começaram a tramar um plano terrível para tirar a vida dele e jogá-lo em um poço.

Um dos irmãos, porém, não concordou com o plano de assassinato e sugeriu que apenas o jogassem no poço. Assim, agiram conforme essa decisão, agarrando José, tirando sua longa túnica e lançando-o no poço.

Mais tarde, passou por ali uma caravana de ismaelitas a caminho do Egito. Judá teve uma ideia e propôs que vendessem José aos ismaelitas, em vez de matá-lo. Seus irmãos concordaram com essa proposta e, assim, José foi vendido como escravo.

Para enganar seu pai, os irmãos pegaram a túnica de José, sujaram-na com sangue de um bode e a enviaram a Jacó. Ao ver a túnica ensanguentada, Jacó concluiu que seu filho havia sido devorado por um animal. Profundamente entristecido, Jacó rasgou suas vestes, vestiu-se com pano de saco e chorou amargamente por muitos dias.

Conclusão

A história da venda de José nos ensina importantes princípios sobre como lidar com o mal que outros nos causam. Quando enfrentamos injustiças e feridas causadas por pessoas ao nosso redor, a vingança não é o caminho a seguir. Em vez disso, devemos orar para que Deus transforme os corações daqueles que nos prejudicaram e confiar que Ele está trabalhando em todas as circunstâncias.

José poderia ter buscado vingança contra seus irmãos após ser vendido como escravo, mas ele escolheu perdoá-los e confiar em Deus. Essa atitude de perdão e confiança abriria caminho para uma jornada extraordinária de transformação e cumprimento dos planos divinos.

As crianças aprendem que, assim como José, devemos entregar as situações difíceis a Deus e confiar que Ele pode transformar o mal em bênçãos. O perdão é um poderoso instrumento de cura, que nos liberta do peso do ódio e abre espaço para a graça e a misericórdia de Deus agirem em nossas vidas.

Veja também:

história bíblica infantil sobre obediência

história bíblica infantil sobre família

4 – A esposa de Potifar (Gênesis 39:1-23)

Nesta parte, as crianças aprenderão sobre a importância da integridade, resistência às tentações e a busca pela vontade de Deus. Vamos explorar os acontecimentos envolvendo a esposa de Potifar e como José enfrentou essa difícil situação.

Após ser vendido como escravo pelos ismaelitas, José chegou ao Egito e foi comprado por Potifar. Deus estava com José e abençoava tudo o que ele fazia, o que levou Potifar a confiar-lhe plenamente, colocando-o como administrador de sua casa e de todas as suas posses.

José, além de ser abençoado por Deus, era também um jovem muito bonito. A beleza de José chamou a atenção da esposa de Potifar, que passou a cobiçá-lo. No entanto, José, em sua sabedoria e temor a Deus, rejeitou as investidas da esposa de Potifar. 

Ele deixou claro que, como escravo, era responsável por tudo na casa de Potifar, exceto a esposa, pois isso seria um ato imoral e pecaminoso diante de Deus.

Enfurecida com a rejeição, a esposa de Potifar acusou falsamente José de tentar agarrá-la. Ela apresentou a capa de José como suposta prova do ocorrido. Potifar, acreditando nas palavras de sua esposa, mandou prender José.

Mesmo diante da injustiça, José continuou fiel a Deus e manteve sua integridade. Na prisão, Deus estava com ele e conquistou a confiança do carcereiro, sendo colocado como encarregado dos demais presos. Tudo o que José fazia, Deus abençoava.

Conclusão

A história de José diante da tentação da esposa de Potifar nos ensina importantes lições sobre resistir ao pecado e buscar a vontade de Deus em todas as circunstâncias. José enfrentou uma situação difícil, mas sua integridade e temor a Deus falaram mais alto.

Assim como José, as crianças aprenderão que a vida apresentará diversas tentações, mas é crucial estar sempre em oração, buscando a orientação divina para vencer as tentações e não cair em pecado. Devemos lembrar que Deus está sempre conosco, capacitando-nos a resistir e permanecer firmes em nossa fé.

5 – José Interpreta Sonhos (Gênesis 40:1-23)

Em mais um capítulo emocionante da história de José, vamos descobrir como Deus usou seus dons de interpretação de sonhos para abrir portas e cumprir Seus planos.

Nesta parte, as crianças aprenderão sobre a importância de ouvir a Deus e confiar em Sua direção, mesmo diante de desafios. Vamos acompanhar a jornada de José ao interpretar os sonhos do copeiro do faraó e, mais tarde, os sonhos do próprio faraó.

Enquanto estava na prisão, José teve a oportunidade de usar seus dons especiais dados por Deus. Dois de seus companheiros de prisão tiveram sonhos e, através da revelação divina, José foi capaz de interpretá-los corretamente. Tudo aconteceu exatamente como José havia dito.

Dois anos depois, o faraó teve um sonho intrigante. Nesse momento, o copeiro do faraó lembrou-se de José e de sua habilidade em interpretar sonhos. O faraó mandou chamar José e compartilhou com ele o sonho das sete vacas gordas e sete vacas magras, seguido pelo sonho das sete espigas boas e sete espigas secas.

Com a sabedoria que Deus lhe concedeu, José interpretou os sonhos do faraó. Ele explicou que as vacas gordas e as espigas boas representavam sete anos de fartura que viriam sobre o Egito, enquanto as vacas magras e as espigas secas simbolizavam sete anos de fome que se seguiriam.

Impressionado com a interpretação precisa de José, o faraó reconheceu a sabedoria e o conhecimento de Deus em José. Ele decidiu nomeá-lo como o responsável por armazenar comida durante os anos de fartura, a fim de que o Egito pudesse enfrentar os anos de escassez sem passar fome.

Conclusão: A história de José ao interpretar os sonhos do copeiro do faraó e do próprio faraó nos ensina a importância de ouvir a Deus e confiar em Sua direção. Mesmo em circunstâncias desafiadoras, José permaneceu fiel e Deus o capacitou a usar seus dons para abençoar os outros.

Assim como José, as crianças aprenderão que Deus nos presenteia com habilidades e dons especiais, e Ele espera que os utilizemos para cumprir Seus propósitos. Quando buscamos Sua orientação e confiamos em Suas promessas, Ele nos guia e nos ajuda a tomar decisões sábias.

Lembraremos às crianças que, independentemente das dificuldades que enfrentarmos, Deus está sempre presente para nos ajudar. Ele é o nosso refúgio e nossa fonte de sabedoria. Ao permanecermos na presença do Senhor, podemos superar qualquer desafio e seguir Seu caminho para uma vida plena e abençoada.

6 – José do Egito (Gênesis 41-46)

Na emocionante continuação da história de José, acompanhamos sua jornada no Egito como governador. Nesta parte, as crianças aprenderão sobre o poder do perdão, a fidelidade de Deus e como Ele usa até mesmo as situações mais difíceis para cumprir Seus propósitos. Vamos descobrir como José se reconciliou com seus irmãos e reencontrou seu amado pai, Jacó.

Após interpretar os sonhos do faraó e aconselhá-lo sobre a preparação para os anos de fome, José foi nomeado governador do Egito. Com a sabedoria e o favor de Deus, ele liderou o país durante os sete anos de fartura e estabeleceu reservas para os sete anos de fome que se seguiram, garantindo a sobrevivência do povo.

Enquanto isso, a fome também atingiu Canaã, onde vivia a família de José. Jacó, o pai de José, soube que havia comida no Egito e enviou seus filhos, exceto Benjamin, para comprar mantimentos. Os irmãos de José chegaram ao Egito, porém, não o reconheceram. José os confrontou e os acusou de serem espiões.

Eles explicaram que eram doze irmãos, mas um estava desaparecido e Benjamin, o mais novo, estava com seu pai. Decidindo testá-los, José ordenou que fossem presos por três dias. Posteriormente, libertou-os, mas exigiu que trouxessem Benjamin de volta ao Egito.

Após os irmãos voltarem a Canaã e trazerem Benjamin, José ficou emocionado ao vê-lo e saiu para chorar. Em um último teste, colocou sua taça na sacola de Benjamin.

Quando os irmãos estavam retornando a Canaã, José os acusou de roubo e encontrou a taça com Benjamin. Desesperados, imploraram a José que os deixasse ficar no lugar de Benjamin, pois a volta sem ele seria insuportável para seu pai.

Nesse momento, José revelou sua identidade e tranquilizou os irmãos, dizendo que não deveriam se sentir tristes ou culpados por tê-lo vendido como escravo.

José entendeu claramente que Deus tinha uma razão específica para permitir aquela situação, a qual era proteger a vida de todos os envolvidos. Com um coração cheio de compaixão e um profundo desejo de reconciliação, José abraçou seus irmãos, derramando lágrimas de alegria junto com eles. 

Movido pela graça do perdão, ele os enviou de volta a Canaã para trazer Jacó, seu pai, e dar-lhe a incrível notícia de que estava vivo e agora exercia um importante papel como governador do Egito.

O encontro entre Jacó e José foi marcado por um abraço tão apertado que transmitia uma mistura intensa de emoções. A gratidão de Jacó a Deus transbordava em seu coração, pois ele podia testemunhar a preservação da vida de seu amado filho.

Pai e filho, agora reunidos, compartilharam um momento de reconciliação e experimentaram a bênção inestimável da restauração familiar.

Conclusão

Em resumo, a história de José do Egito nos oferece preciosas lições sobre o poder transformador do perdão, a inabalável fidelidade de Deus e a importância vital da reconciliação familiar. 

Enfrentando adversidades significativas, José permaneceu firme em sua fé em Deus e foi honrado com o cargo de governador. Seu exemplo inspira-nos a buscar o perdão, confiar plenamente em Deus e trabalhar incansavelmente pela reconciliação em nossas próprias vidas, na certeza de que Ele é capaz de transformar situações difíceis em momentos de profunda cura e restauração.

3 Comments

  1. Muito obrigado pelos atributos mencionados nesta história vai me ajudar com as crianças do ministério onde congrego para ensinar o valor do perdão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *